IMG 20191203 WA0001

O Presidente do Conselho Diretivo do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, Embaixador Luís Faro Ramos, visitou a Venezuela entre os dias 24 e 27 de novembro. A visita foi enquadrada no objetivo de fomentar o ensino da Língua Portuguesa nas universidades venezuelanas.

Neste sentido, o Embaixador Luís Faro Ramos procedeu à assinatura de um protocolo de cooperação entre o Camões, IP e a Universidade de Los Andes, em Mérida, na região andina da Venezuela, para a abertura de um curso universitário que visa a formação de investigadores e docentes de língua portuguesa.

No decurso da visita, o Presidente do Camões, IP, visitou também a Universidade Pedagógica Experimental Libertador, na cidade de Maracay, onde pode conhecer as instalações do futuro Centro de Língua Portuguesa (CLP) desta universidade, a qual já possui um protocolo de cooperação com o Camões IP para a formação de professores.  Igualmente na cidade de Maracay, visitou também alguns colégios da região que já incorporaram o Português ao seu programa de estudos, sendo de referir que só em setembro último cerca de 1300 alunos se inscreveram nas aulas de Português desta região, existindo condições para que os números continuem a crescer nos próximos meses. 

Em Caracas, o Presidente do Camões renovou um protocolo, existente há 24 anos, com a Universidade Central da Venezuela, que assegura a continuidade do apoio dado por aquele Instituto ao Departamento de Língua Portuguesa que ali funciona.   

A finalizar o programa, nas instalações do Centro Português de Caracas, foi assinado um protocolo de cooperação com aquela associação luso-venezuelana, que desde há mais de vinte anos incorporou o ensino de português como língua de herança, tendo neste momento mais de 300 estudantes. Foi ainda renovado o convénio com o Instituto Português de Cultura, instituição que tem dado importantes contribuições para a difusão da Língua Portuguesa na Venezuela. Naquela ocasião, o Embaixador Luís Faro Ramos considerou que o interesse por parte das autoridades e dos estudantes venezuelanos pela língua portuguesa constitui um reflexo da importância do português como língua global e pluricêntrica, sendo atualmente falada por mais de 270 milhões de pessoas e que, no fim do século, será possivelmente falada por mais de 500 milhões de pessoas.

 

IMG 20191126 WA0007

IMG 20191127 WA0011

IMG 20191127 WA0020

IMG 20191127 WA0025

 

Instituto Camões

  • Partilhe